¿Como surge esta idéia?

Eu gostaria de dedicar este projeto para todas e cada uma das pessoas que me terêm acompanhado no meu CAMINHO DE VIA, e nos meus Caminhos a Compostela, e GRAÇAS òs quais qual eu me tornei na pessoa que eu sou, com os meus defeitos e minhas virtudes, … simplesmente única e irrepetível, como também o são todos e cada um de vocês.

A atmosfera do trabalho inerente entre o que eu cresci toda a minha vida, a ilusão e a motivação diária, assim como a aposta num projeto empresarial sem poupar nenhum esforço, também me leva a fazer uma menção especial, como diz a famosa frase de Bertolt Brecht…

“Há homens que lutam um dia e são bons. Há outros que lutam um ano e são melhores. Há alguns que lutam muitos anos e são muito bons. Mas aqueles que lutam toda a vida: Eses são os imprescindíveis”

imagen como nace

Meu logotipo representa uma vieira, símbolo indiscutível do Caminho a Compostela. Ele também evoca para mim, o mar, a memória permanente da minha família de origem, nativa da costa da Galiza, …. muito perto das praias maravilhosas que eu tanto gosto pasear e perderme, não só durante o verão, senão alguns outros dias de chuva…
A cor verde é associada com a cor da esperança, da paz, da tranquilidade e da calma que todos nós ansiamos ter num momento ou noutro das nossas vidas. Essa paz interior que eu acredito, é sem dúvida, um dos valores essenciais na minha vida, sem a qual eu não podería, em qualquer caso, dar o melhor de mim e não ser a melhor versão de mim mesma, e, portanto, eu não sería capaz de acompanhar a quem o fosse.

Compostela é um lugar de chegada, de meta, o objetivopara centenas de milhares de peregrinos que cada dia depois de um longo caminho e passo a passo, chegam ò Co-ração, uma combinação perfeita resultado da sua vontade, coragem e razão: isto é, o seu coração, o lado emocional muitas vezes, anulado, afogado em pensamentos de “eu não posso”, “eu não sou capaz”, “eu não mereço isso”, sentimentos que nos não lhe permitimos colocar voz ou expressar, nem muitas vezes aceitamos como reais, como se não nos pertencessem. Esse lado emocional, não considerado em igualdade de condições que o racional, sendo iste o único motivo e meio pelo qual desde o nosso nascimento somos valorizados e considerados…

processos

Na chegada à capital da Galiza, desde todas as partes do mundo, tem lugar depois de superar obstáculos, dificuldades, contratempos, mergulharse em diferentes estados de ânimo, deterse e começar a prestar atenção em que medida o nosso diálogo interno define os nossos dias, emergem memórias sobre a nossa vida em geral, nas áreas de trabalho, família, casal, e desde lá parecem ter uma nova perspectiva e abordagem… a realidade e que conseguimos “mudar os nossos óculos”, a nossa mirada.
Parecia como se o feito de caminhar ao lado de pessoas com outro modo de vida, contagiase e permitira abrir as nossas mentes, oxigena as nossas ideias, … descongestiona os nossos bloqueios, … tudo adquire uma leveza e senso diferente …

Nós não saimos apenas com as mochilas carregadas, senão com preocupações, inquietudes, anelos, desejos, sonhos para realizar…
Conhecerse melhor por vezes é muito mais fácil depois de longas caminhadas na companhia de outras pessoas que procuram alcançar um objetivo como você, apesar de que a meta não seja a mesma.
Isto faz que na soledade um se sinta acompanhado, se sinta mais perto de um mesmo … o caminho permite comunicarse com pessoas doutras culturas e diferentes formas de pensar e se relacionar mum contexto no que um tem que viver e compartir espaço e tempo muitas vezes em situações incómodas, dolorosas, emocionais. Também onde de alguma forma, a proximidade com outros peregrinos permanece latente, com o quais, mesmo que você não tenha visto antes, você começa a criar laços de profunda amizade e que permanecem por um longo tempo, muitas vezes não é apenas uma parte das fotos da viagem, senão que tornam-se parte de sua vida, da sua memória, e mum dos momentos em que talvez se reúnem e acontecem mais mudanças na sua vida, e leva-te até mesmo sem perceber muitas decisões irrelevantes para marcar um novo rumo aos seus caminhos…

E assim, eu decidí que o não atender às minhas necessidades e preocupações reais, a fim de atender as dos demais soamente e a maior parte do tempo, tinha um elevado custo emocional, e um dia eu escolhi sair fora da zona de conforto… e reinvertarme… descubrirme fazendo e trabalhando em uma das minhas paixões a que não pudera prestar muita atenção até agora, …
Eu pensei sobre quem iria apostar em mim em qualquer nível, se eu não o fiz por mim misma. Ninguém além de mim pode darme asas, então eu entrei em um caminho para Compostela onde descobri infinitas possibilidades para desenvolver meus talentos, que, como todos vocês, eu tenho; começando a partir de uma forma simple e eficaz: Eu decidi mudar a minha maneira de olhar para o mundo.
Assim, desta forma vivi tudo o que estou a escrever agora e espero poder ajudá-lo, tudo isto surge da minha experiência… e é assim como que a primeira semente deste projeto foi plantada…
Com todo o meu Co-ração de caminhada a Compostela. Assim, em diferentes estágios de diferentes passeios que durou vários anos, e apresentar ao lado de um processo de Coaching de Caminho a Compostela se fóram formando os projectos de Coaching Co-Ração e Talento Feminino em Movemento.
Durante estas longas e inesquecíveis caminadas, eu estive a ordear as minhas ilusões, grandes sonhos, fora do mundanal ruído… Prevendo muitas idéias que talvez um dia eu possa chegar a desenvolver.

Se eu alcanço esse objetivo, você certamente também é um dos protagonistas desta história, da minha história…
…Onde eu nunca vou esquecer o que tantas vezes a vida me ensinou:
“Cavaleiros somos é ao longo do caminho hemos de encontrarmos”

imagen meta